terça-feira, 2 de fevereiro de 2016

De bike

Começando a tomar gosto pela bike
Aposto que quando vc pensa na Holanda a bike está ali, do ladinho dos moinhos e campos de flores, impossível pensar na Holanda e não pensar em bicicleta. Então imagina a cara dos amigos sempre que me perguntavam sobre o assunto e eu dizia que nem bicicleta. 
Bom, os intimos nem se espantavam, dada a minha fama de preguiçosa, mas outros ficavam sim espantados, afinal com toda a estrutura que temos, não pedalar é um disperdício.

Apesar de ja ter pedalado muito por aqui, depois que virei mãe eu desencanei do assunto, nunca fui muito boa nessa arte, e pedalar com a cria na garupa me dava arrepios. Até que um dia enquanto voltava da escola do Cori com ele reclamando que tava cansado eu pensei que tava na hora de retomar o velho hábito.
A escola não é longe, uns doze minutos caminhando, porém de bike dá apenas uns cinco e cá entre nós, cinco minutinhos numa bike é bem melhor, né?
No percurso há ciclovia praticamente de porta à porta, não teria muito o que temer.

Comentei com o querido e ele na mesma hora me disse pra escolher o modelo, esse seria o meu presente de aniversário. A primeira etapa foi perder o medo de pedalar por aqui, há ciclovia mas mesmo assim, no começo eu tinha medo das outras bike, de parar no semáfaro, enfim, tudo era novo.
Assim que o medo diminuiu, foi hora de aprender a carregar a cria e isso foi foi mais fácil do que eu imaginava. Um dia voltando da escola o coloquei na garupa (ainda sem cadeirinha) e vi que sim, eu conseguia leva-lo, nesse mesmo dia compramos a cadeirinha e a vida mudou.

Hoje, quase dois anos depois eu ainda sigo um pouco medrosa, evito ruas movimentadas, o meu equilibrio não é assim uma maravilha,  mas estou bem mais confiante e aproveitando muito mais a minha magrela.

Apesar de muitas vezes o tempo não ajudar em nada (pedalar com vento de 70km/hr, chuva na cara com a temperatura de 0 graus não é bacana!), felizmente moramos em um país plano e que oferece toda estrutura para ciclistas, já tava passando da minha hora de reconhecer isso e fazer bom uso!

O sucesso da bike foi tanto que em Agosto do ano passado vendemos o carro e agora ela é no nosso principal meio de transporte na cidade. Com ela vamos pra todos o cantos, inclusive fazer compras, tava achando que aquele caixotinho na frente da minha magrela era só enfeite?
Tá, eu ainda não consigo carregar um engradado de cerveja, ou aquele mundaréu de coisas que é bem comum ver o povo carregando por aqui. Mas eu sou paciente e devagar eu chego lá. 

Pedalar com eles é sempre muito bom

3 comentários:

Ana de Amsterdam! disse...

Que legal! E que mudança de 'não bike' para 'não carro'. Parabéns :)
Eu uso muito a minha, principalmente no bairro, acho tao pratico. E logo o Cori vai estar ao seu lado pedalando, você vai ver que gostoso. Beijocas

Ingrid Gomes disse...

Ana, foi uma mudança e tanto. Ainda vou escrever um post sobre isso, porque foi algo muito bacana. =)
Cori já pedala conosco, e concordo contigo, é muuuito gostoso.

Beijocas

Eliana disse...

Eu uso bastante a minha pra fazer as coisas corriqueiras. Ahhh é prazeroso pedalar...mas quando o tempo tá invertido rs eu vou a pé mesmo ou pego o busão rs...mas realmente andar em lugares muito movimentados requer muita atenção e prática em cima das duas rodas. Bjs