sábado, 19 de fevereiro de 2011

*Blogagem Coletiva entre Mães Internacionais - Licença Maternidade na Holanda


O filhotinho nasceu no Brasil e por conta disso não tive Licença Maternidade, apenas a Parental, as informações sobre os direitos de mamães e papais na Holanda eu consegui com amigas e no site oficial do Governo.

Aqui na Holanda a “zwangerschapverlof” - Licença Maternidade é basicamente como no Brasil, por lei toda mulher que trabalha (independente do numero de horas) tem direito a 16 semanas de licença, sendo minimo de 4 semanas antes da data prevista para o parto, (a empresa que não respeita licença pré parto pode ser multada) e 12 semanas após o nascimento, em casos de complicações pós parto o médico pode estender a licença e se houver acordo com o empregador a futura mamãe pode conciliar a licença com as férias por exemplo.

Pós parto as mães tem direito a um beneficio do governo -“uitkering” (WAZO e ZEZ para as independentes), que também é válido em caso de adoção. O valor do “uitkering” depende do seu salário. O valor máximo – em proporção ao seu salário – pode chegar à 179,90€ (dagloon) por dia.

Desde 2008 o governo Holandês está discutindo a possibilidade de aumentar a licença a maternidade de 16 para 18 semanas, mas nada ainda foi decidido.

Licença Paternidade - "kraamverlof" - Os pais tem direito a 2 dias livres, esses dias são remunerados e devem ser tirados após o nascimento do bebe.

Licença Parental - "Ouderschapverlof" - Pais e mães de crianças até 8 anos tem direito a horas extras para o cuidado com os filhos, para ter o numero exato de horas livres o empregador deve multiplicar as horas trabalhadas por 26, por exemplo, se a pessoa trabalha 40 horas por semana ela terá 1040 horas livres, não existe uma lei que obrigue as empresas a pagar por essa licença porém funcionários públicos recebem 67.5% de remuneração.

Para obter essa lincença o empregado deve ter mais de um ano de casa e as horas devem ser negociadas com o empregador, no nosso caso o namorido tem licença remunerada e usa as horas para as visitas ao pediatra, os dias que pokbunny precisa de atenção dupla e coisas do tipo, uma amiga mãe de dois filhos passou meses trabalhando apenas 3 semanas por mes e agora o marido dela trabalha apenas 4 dias por semana, é um modo de estar sempre presente na vida dos pequenos sem se complicar no trabalho, eu acho ótimo!

Para informações mais detalhadas ou atualizadas (leis vivem mudando, vocês sabem), eis a minha fonte.

http://www.rijksoverheid.nl/onderwerpen/verlof-voor-ouders

Para saber como funciona nos outros países segue o link do post das outras mamães do nosso grupo:


Argentina - Carol

Canadá - Ana Paula

Espanha - Vanessa

Estados Unidos - Paula

França- Carine

Inglaterra - Carol

Irlanda - Karine

Inglaterra - Claudia

Irlanda - Nivea

Itália - Daniela

Itália - Joice

Mónaco - Roberta

Suiça - Carla

*Conheci o Blogagem Coletiva em uma visita ao blog da Daniela, achei super util e interessante, mães de diversos países uma vez por mês postam em seus blogs sobre um determinado assunto, o tema é escolhido através do grupo no Facebook, a participação é livre, e na data escolhida as mamães devem explicar como a coisa rola no país onde vive, legal, não?!

13 comentários:

Vanessa Ribeiro disse...

Oi Ingrid,

Que legal a idéia da Dani. Estou adorando ler os outros blogs e a experiência de outras mamães perdidas pelo mundo como eu :-)

Os direitos na Holanda sao muito parecidos ao da Espanha, com a diferença da licença paternidade que é fantástica nao?

Beijinhos
Van

www.coisasminhas.com

Nivea disse...

Oi Ingrid,
Nao sabia que o seu pequeno tinha nascido no Brasil! O que eu achei mais legal ai na Holanda foi a licenca parental que possibilita que o casal se organize melhor para tomar conta do bebe.
Um beijo
N

Carol P` disse...

Legal saber como funciona na Holanda. Morei na Belgica e eh mais ou mensoa a mesma coisa.
bj
http://motherlovedatabase.blogspot.com

Juliana disse...

Ingrid,

Eu nao entendi direito a razao por que voce nao recebeu licenca maternidade.

Voce ainda morava no Brasil ou foi ao Brasil para ter seu filho?

Se uma mulher tem trabalho full time aqui na Holanda, mas vai para o Brasil ter o filho ela perde o direito a licenca maternidade? Como funciona esse negocio?

Abraco,

Juliana

ingridgomes disse...

Oi Juliana, eu não trabalhava aqui e fui ao Brasil pra ter o bebe, se a mulher trabalha aqui por mais de um ano (nao importa quantas horas por semana) e vai ao Brasil ter o bebe ela poderá sim utilizar a licença, mas também terá que negociar com o empregador para usar as férias ou os dias da licença parental, já que 16 semanas é pouco tempo nesse caso, o recomendado é voar antes de sete meses e ai nessa lá se vai 2 meses da licença, creio que o ideal para quem vai ter o bebe no Brasil é algo entre 18 e 20 semanas. =)

ingridgomes disse...

Sim Nivea, meu brazungaro nasceu em Sampa city, é paulistano da gema, voamos de volta qdo ele tinha 7 semanas, veio lindo dormindo tranquilo, recebemos até um "certificado" de primeiro voo da KLM, ele fez sucesso a bordo, todo mundo queria carregar aquela coisinha miuda! =)

A Licença Parental realmente é uma mão na roda, ajuda bastante!

Beijos

ingridgomes disse...

Oi Vanessa, a nossa Licença Paternidade é de apenas 2 dias mas a Parental vale a pena mesmo! =)
Ja passei deixar um beijinho no seu blog!
bj

Ana Paula disse...

Ola Juliana!
Eu acho a Holanda super pra frente mesmo!Muito legal poder contar com o direito de ter horas a mais para ficar com os filhos até os oito anos de idade.
Beijos : )

Daniela disse...

Juliana, vou ter meu proximo filho na Holanda! Q q isso, quase 180 euros por DIA???? q maravilha, heheheh

Adorei as palavras em holandes.

Se nao me engano na Suécia tb se ganha um valor p ficar em casa com o baby. Esses paises daì q sao de primeiro mundo mesmo..

bjao!

ingridgomes disse...

Pois é Daniela, o valor MAXIMO é 180, ou seja a licença equivale ao seu salário, se ele for alto, a licença tb será. =)
Acho que tudo isso é pra compensar o perrengue que é o pré natal na Holanda, 90% das mulheres que eu conheço ficaram insatisfeitas e ao menos 40% (incluindo eu) tiveram problemas devido ao descaso das "parteiras" holandesas, honestamente não recomendo a ninguém ter filho aqui na Holanda. =) beijos

ingridgomes disse...

Como eu disse pra Dani, os direitos devem ser pra compensar a dor de cabeça que é o pré natal, apenas casos especiais (gravidez com risco) são atendidos por obstetras, as demais são atendidas em clinicas pelas "Verloskundige" - parteiras - sem choro nem vela, além de serem totalmente impessoais, desatentas a mulher tem que brigar e muito pra ter um pouco de atenção, ah, e aqui não existe serviço publico, o serviço publico é pago, custa em torno de 100 euros por mes e o pagamento é obrigatório, cada regiao tem seu proprio centro de atendimento, se vc não ficar feliz com sua parteira azar o seu, não tem como mudar. Um dia escrevo melhor sobre isso, eu realmente ODEIO o sistema de saúde holandes de um modo geral. =)

Dani disse...

Ingrid!!! So sorry! Te chamei de Juliana, me confundi das ideias! :(
Bom, vc falando esse outro lado, realmente é desanimador, ainda mais em ter q pagar!

Te sugiro a escrever sobre o tema da nossa 1° blogagem coletiva: sistema de saude no pais q moramos. Se vc escrever, manda o link depois q atualizamos.

Juliana disse...

Ingrid,

Agora entendi melhor. Ainda vou te encher de perguntas futuramente sobre o pre-natal etc... Eu ja odeio o sistema de saude aqui ... tipo a gente tem que estar morrendo pra fazer alguma coisa.

Eu sempre pensei que quando minha hora chegar, vou pro Brasil ter meu filho.

So que acho que parto ainda eh um taboo, tem tanta informacao contraditoria, que so nos fazem ficar ainda mais perdidas.

Uma coisa ainda pesa muito... acho que numa hora como essa eu so vou querer eh minha propria mae, gente que fale minha lingua e tenha um pouco de sensibilidade. E nao uma loira bruta falando holandes comigo.

Sei la... por enquanto nao tenho que decidir nada.